Eficiência Energética no Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental EPE - Hospital de São Francisco Xavier

Designação do projeto: Eficiência Energética no Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, E.P.E. - Hospital de São Francisco Xavier

 Caso de sucesso ECO.AP

 

Código do projeto: POSEUR-01-1203-FC-000077

Objetivo principal: Apoiar a transição para uma economia de baixo teor de carbono em todos os setores

Região de intervenção: Lisboa

Entidade beneficiária Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, E.P.E.

Data de aprovação: 26-09-2017

Data de início: 01-01-2017

Data de Conclusão: 31-12-2022

Custo total elegível: 5 267 894,63 EUR

Apoio Financeiro da União Europeia: FEDER - 5 000 000,00 EUR

Apoio Financeiro Público Nacional: 267 894,63 EUR

Objetivos, atividades e resultados esperados / atingidos:

Objetivos: Com a implementação da operação, o beneficiário espera atingir os seguintes objetivos:

• Redução da fatura energética das instalações
• Instalação de equipamentos e redes de elevada eficiência energética
• Redução da dependência de combustíveis fósseis
• Transição para uma economia com baixas emissões de carbono.

Atividades: A operação a desenvolver prevê a implementação de um projeto integrado de gestão e racionalização energética no Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, E.P.E., onde constam um conjunto de medidas de melhoria da eficiência energética identificadas na sequência de uma auditoria realizada à estrutura existente, conforme se explicita:

1. Isolamento da parede exterior do Edifício Velho com EPS 100 (ETICS);
2. Isolamento e toda a cobertura com sistema "Knauf Insuflation" de isolamento térmico pelo exterior com cobertura plana não acessível, pintura com tinta plástica de parâmetros exteriores;
3. Substituição de vãos envidraçados por soluções com caixilharia de alumínio com corte térmico;
4. Substituição de equipamentos por outros de maior eficiência energética, designadamente substituição das UTAs (18 Esterilização, 22 Recobro, 25 recobro) e UTAN 18;
5. Instalação de VEVs em 45 UTAs, 13 ventiladores de extração e 3 bombas. É ainda de referir a admissão de um gestor de energia;
6. Instalação de Gestão Técnica Centralizada;
7. Substituição das lâmpadas atuais e/ou instalação de LED para iluminação;
8. Instalação de Sistema Solar Térmico Individual, com 115 painéis;
9. Instalação de sistema solar fotovoltaico com 910 painéis que totaliza uma potência instalada de 300,3KW.

Resultados esperados/ atingidos: cenário pós operação espelha, por um lado a tecnologia, nas áreas de invenção envolvidas, que vai ser adicionada aos vários sistemas e por outro o efeito simulado pelos elementos técnicos de candidatura no comportamento em termos de consumo energético destes sistemas: Cenário de consumo futuro: Consumo Energético de energia primária estimado (kWh/ano) e emissões de CO2 estimadas das instalações no primeiro ano de exploração do investimento: 15 647 379 kWh e 2545 tonCO2. Poupanças previstas (kWh/ano Eprimária e €/ano) no primeiro ano de exploração do investimento: 8368678 kWh e € 450048.08. Redução do Consumo de Energia Primária (%, medido pelo rácio entre consumo no primeiro ano de exploração do investimento / consumo antes da intervenção) e Classe Energética Final: 34.8%, B Tecnologias dos equipamentos e materiais a utilizar na operação, referentes às tipologias de operação candidatas): Utilização de LED em toda a iluminação, com um sistema de gestão dedicado, aquecimento de água quente por painéis solares térmicos, sistema de gestão técnica centralizado, adição de variadores de velocidade nos motores de ventiladores e UTA’s, substituição de algumas UTA’s, a envolvente possui isolamento de fachada (pelo exterior) e coberturas (pelo interior e será alterada a envolvente envidraçada, com a adição de vidros duplos com corte térmico. Existirá uma produção de eletricidade por painéis fotovoltaicos, para autoconsumo.